Adicionado por a 2013-11-09

 

Um homem, funcionário do ISS, foi intimado a pagar 41,10 de “acertos de ausências por gravidez”. Foi “um lapso” que a Segurança Social corrigiu no próprio dia, enviando nova carta com o verdadeiro motivo: um subsídio “indevidamente pago em dezembro de 2008”.

Um homem soube através de uma carta da Segurança Social que estava grávido. O caso ocorreu em Castelo Branco com um ex-funcionário do Instituto de Segurança Social (ISS), que foi intimado a devolver uma verba (41,10 euros) “referente a acertos de ausências por gravidez”.

Uma “gravidez” que, ainda por cima, era “de risco”. Citado pelo jornal A Reconquista, Albino Ribeiro conta que recebeu uma carta que lhe comunicava que “se encontra a pagamento, no prazo máximo de 30 dias, a importância de 41,10 euros referente a acertos de ausências por gravidez de risco de outubro e novembro de 2008 indevidamente pagos”.

Foi “um lapso” já admitido pelo ISS e corrigido no próprio dia. Num esclarecimento que tem sido enviado aos jornais, o ISS assegura que “ainda no mesmo dia, 1 de novembro, foi enviado outro ofício ao ex-colaborador evocando o motivo correcto para devolução do valor de 41,10 euros, que corresponde ao valor de subsídio de refeição indevidamente pago em dezembro de 2008”.

Os serviços da Segurança Social de Castelo Branco esclareceram “pessoalmente o sr. Albino Dias Ribeiro de que se tratava de um lapso, lamentando o incómodo causado”, mas o visado não gostou do “lapso”. “É um caso em que podemos brincar com a situação, mas podia ter sido uma coisa muito mais grave”, afirmou o ‘grávido’, citado pelo A Reconquista.

 
financas_big
fonte: ptjornal

Category:

Caso Insólito Do Dia

Pesquisas Relacionadas:

portuguesinha daniela

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*